Autoconhecimento a chave que faltava para ajudá-lo a transformar o caos e conectar ao ser​

https://www.pexels.com/pt-br/foto/ao-ar-livre-argumento-assento-banco-984953/

Autoconhecimento: a chave que faltava para ajudá-lo a transformar o caos e conectar ao "ser"​

Dênis Castro – Gestão Lúdika – 21/Setembro/2020

Leia e divirta-se com este conteúdo elaborado para ajudar você a se conectar. Convide os amigos e leve essa inspiração para eles!

Autoconhecimento, é a investigação de si mesmo. Envolve o uso da autoconsciência e o desenvolvimento da autoimagemWikipedia.

Portanto, o título deste artigo é um convite a refletir sobre a caminhada do ser e a busca incessante dos padrões da ética, justiça, humanidade e os desafios de como viver numa sociedade, que esqueceu o significado de ter esperança e do autoconhecimento.

Antes de iniciar este conteúdo.

Quero agradecer a você, por estar junto comigo, nesta caminhada do saber. Que orgulho, tenho de você, me ajudou a chegar ao 100 (centésimo) artigo compartilhado no Linkedin e ter assinado o boletim quinzenal.

Extenso a minha gratidão aos amigos Paulo Fernando Silvestre Jr e Roberto Vazquez, por incentivarem desde 2014, a escrever artigos a partir da experiência e vivência nas empresas e se transformarem em reflexões, para ajudá-lo na sua vida e no trabalho, sejam por erros e acertos.

Voltando ao conteúdo.

 

Autoconhecimento e os desvios no “ser”.

Por exemplo, terminei recentemente de assistir à série Altered Carbon, original da Netflix, que infelizmente foi cancelada (apenas duas temporadas). Inspirada na obra do escritor Richard K. Morgan, cuja premissa é o autoconhecimento e os desvios gerados no “ser”.

Em outras palavras “Altered Carbon“, é uma ficção no estilo de Blade Runner, como pode acompanhar no ‘trailer’ compartilhado do canal Melhores Trailers de Filmes.

Certamente, o cataclismo e o caos, inserido pelo autor Richard K. Morgan, transcende o modelo de viver em comunidade, que pode assustar e apavorar as pessoas, pela incapacidade emocional de não existir uma cultura da colaboratividade (ser e o corpo, que possui), cujo duelo, devo compartilhar, o que aprendi e esconder os erros cometidos.

Em outras palavras, para se destacar, são usados artifícios para agradar uma necessidade momentânea e falsa por um ego enraizado no ser. Isca para ser preso numa oportunidade “sublimar”, com o intuído de obter seus dados e informações a partir de uma simples troca ou desejo agregado.

Se gostou deste conteúdo, siga-me nas mídias sociais e acesse mais conteúdos.

 

Questionamentos ao ser, que habita em você.

Premissa, encontrada no documentário da Netflix, Dilema das Redes (‘trailer’ compartilhado do canal Trailer em Português). Nas primeiras cenas, o filme provoca um questionamento ao ser, que habita em você, correlacionada com a frase do escritor e visionário Arthur C. Clarke (2001 uma Odisseia no Espaço, 2010 ano que faremos o contato etc).

“Qualquer tecnologia suficientemente avançada é indistinta de magia”. Arthur C. Clarke

Portanto, na frase como no filme, se abre um precedente desafiador.

Qual o verdadeiro significado da empatia pelos dons recebidos por Deus e nas atitudes praticadas pelo “ser”?


No entanto, o questionamento no “ser”, ultrapassa os sentimentos e coloca-o de frente ao autoconhecimento, que se aproxima do “ser”.

Da mesma forma, a vida pode ser comparada, como na frase “somos fúteis como lágrimas em chuva“, em Blade Runner, dita pelo replicante Roy Batty interpretado por Rutger Hauer (Conquista Sangrenta, Feitiço de Áquíla, A Morte pede Carona etc), ao segurar nas mãos uma pomba branca.

Blade Runner, é uma obra-prima de Ridley Scott, inspirado no incrível autor Philip K Dick, um dos visionários do futuro como Clarke.

Interrompendo esse caos inquietante no “ser”.


Em suma, é preciso deixar os caprichos por disputas fúteis, como nas trocas de ideias mirabolantes, que distância o “ser” para dar lugar ao “ter”, ou seja, uma felicidade momentânea com o propósito de desvalorizar o “ser”.

Além disso, a insensatez humana provoca uma instabilidade do ser e ao próximo. Interferem nas decisões da história cultural da sociedade, cuja incredulidade é a face oculta, do que a vida subliminarmente se propõe e no seu lugar uma consciência inquietante e destruidora.

O que fazer, para interromper essa consciência destruidora, diante de um caos inquietante?


Certamente, os parâmetros atuais da sociedade, foram invertidos. A preocupação com o próximo virou moeda de troca, no que ela pode gerar de lucro, sem perceber como as pessoas estão felizes ou tristes.

Além disso, torna a vida mais desafiadora para o perdão e auto perdoar. Premissas esquecidas pelo imediatismo perverso, que a sociedade inseriu nas suas vidas.

Saudades, daquele tempo, cujas brincadeiras eram compartilhadas e o “ser” sentia mais confortável, com a presença dos amigos, como no vídeo do canal Curiosidade e Dicas do Mundo “30 brincadeiras antigas.

Se puder, pare uns instantes e reviva essas imagens. Quem sabe, é o que estava precisando para conseguir resolver um desafio ou um problema agora.

Negação do próprio “ser”.

Da mesma forma, ainda existe uma incapacidade emocional para exercer o perdão, que vêm escondidos por máscaras e não deixam o coração conversar com o ser, que habita em você.

Segundo, o filósofo alemão Friedrich Nietzsche, onde estudei na graduação de cinema e sempre me ajuda a compreender o “ser” das pessoas.

Destaco, a contundente contraposição ao amor ao próximo por Nietzche, na seguinte frase e com ela o contraste do caos inquietante do “ser’.

“Aquele que não ama a si mesmo, não deveria ter motivos para ser amado por outros” Friedrich Nietzsche


No entanto, dentre as inúmeras constatações do “ser” por Nietzsche, ele propõe a visão da “negação do próprio “ser“.

Um caos desafiador, que deixa o “ser” desconectado.


Em outras palavras, negar algo para Nietzsche é esquecer o seu próximo e cultuar o “eu”, onde nada mais importa. Um egocentrismo puro e devastador do “ser”.

Por exemplo, este egocentrismo é apresentado nas adversidades diárias, ao atropelar, os que estão a sua frente, para conseguir o seu pódio e com um agravante, não conseguem amar ninguém. Apenas por interesse próprio, ou seja, um caos desafiador, que distância do “ser”.

Portanto, para explicar a ideia de Nietzsche, por mais complexo que seja, é preciso transportar as experiências vividas e visualizar a dualidade do amor e ódio, cujo egoísmo pode ser levado à última existência, ou seja, destruir a essência divina. O presente mais nobre recebido por Deus, a “vida”.

Da mesma forma, o contexto de Nietzche faz um convite a compreender, quais fatores, foram propulsores para semear esse caos, que desconecta do “ser”.

Desafios impostos ao “ser”, que deixam desconectados.


Por exemplo, quando você nasceu, foi presenteado com dons, habilidades, criatividade e sabedoria, representados por sorrisos tímidos de forma curiosa em volta de amigos.

Em resumo, essa peculiaridade do caos, você encontra na série Cobra Kai da Netflix, inspirada no filme Karatê Kid, cujo contexto gira em torno da vida dos lutadores Daniel LaRusso (Ralph Macchio) e Johnny Lawrence (William Zabka), depois de 30 anos. Um se tornou afortunado e outro amargurado.

 

São escolhas, mas você pode reconfigurá-las, mudando o cenário da foto deste artigo.

No entanto, o desafio gerado por esse caos, são transformados em ferrões pela falta de um autoconhecimento na conectividade do “ser” e nas perdas inquietantes.

Estou desconectado, como recuperar o entendimento no “ser”.


Em outras palavras, o caos e o individualismo seguido do imediatismo, estão presentes em todos os cenários da sociedade. Mas você pode ajudar a mudar esse contexto, conforme Nietzche propõe em suas inquietações.

Premissa, encontrada no universo das Histórias em Quadrinhos, pela busca do entendimento do ser, diante ao descompasso provocado pelos Pensamentos Vazios (pensamentos ruins), que amam desconectar do “ser”, e pode se transformar numa consciência perigosa.

Por exemplo, nos anos 60, a dualidade do ser e convivência com as perseguições sociais eram desafiadoras, onde morte se tornava o caminho mais fácil.

 

Primeiro, recomece pelos seus dons.

 

Da mesma forma, os escritores e quadrinistas Stan Lee e Jack Kirby, perceberam esse caos social e criaram um personagem incrível, que você conhece como Pantera Negra.

Portanto, tornou um ícone de respeito a partir do filme (trailer compartilhado do canal Ingresso.com). Com um roteiro riquíssimo em detalhes e características humanas além da curva, cuja sensibilidade é um grito no silêncio para alcançar a evolução, do que foi prometido ao nascer (compartilhar os dons e vencer o caos interior), que envolve o ser das pessoas.

Além disso, as provocações e reflexões de Pantera Negra, ensina e transmite os valores de uma comunidade unida, respeito as ideias individuais e uma preocupação com o meio ambiente.

 

Segundo, conecte seus dons ao “ser”.

Em resumo, refere-se ao lado humano na sociedade, o respeito a natureza, a religiosidade e aos ancestrais, cujo individualismo se desfaz num propósito único, a benfeitoria de todos, onde a tecnologia precisa ser usada a favor de todos e não para benefícios próprios.

Portanto, caso carregue em seu ser, algum motivo ou adversidade com alguém, repense quem o ajudou e transforme esta dificuldade em força. Você não sabe quem pode estar na outra ponta deste seu pensamento, diante de um entrelaçar, por uma vida melhor a todos.

 

Terceiro, compreenda, que erros vão ajudá-lo a conectar ao “ser”.


Em outras palavras, tanto o personagem de Pantera Negra, a dualidade questionada sobre o caos e amor de Nietzsche, como na vida de Chadwick Boseman. Mostra a necessidade de superar sempre, cujo perdão pode ser a saída para o sucesso ou ficar amarrado no tempo de seu próprio fracasso. Os erros acontecem, mas são necessários para que existem a evolução.

Da mesma forma, Chadwick, ensina uma lição vida maravilhosa, ao mostrar como o caos precisa se transformar em amor. Brilhantemente homenageado pelo canal Marvel Brasil, e como se tornou o Pantera Negra, um personagem inesquecível.

Quarto, jamais perca a esperança em você.


Jamais, perca sua esperança. Mensagem maravilhosa deixada por Chadwick, que pode ser encontrada também no prisma de ajudar alguém, cujos exemplos de valores humanos e suas atitudes, precisam transformar a razão para a conectividade do ser, ou seja, espelhos vivos na vida das pessoas.

Certamente, você já vivenciou esses cenários de conflitos e como lidar com sentimentos nesta dualidade sem fim, amor ou ódio, cujo caos é seu maior regente.

Quinto, aplique o autoconhecimento para ajudá-lo no caos.


Por exemplo, na série Star Trek Discovery da Netflix, que foi inspirada na literatura fantástica do gênio Gene Roddenberry e criador de Jornada nas Estrelas, um néctar de ideias para o autoconhecimento.

Em outras palavras, quando Gene Roddenberry, criou a história de Star Trek. Uma das séries de ficção cientifica mais consagradas que surgiu, com temas sobre consciência e posicionamento do ser, cujo autoconhecimento é a holografia das atitudes realizadas aos semelhantes, diante do caos presente nos dias atuais.

Portanto, Roddenberry, levou os problemas sociais e emocionais, que são compartilhados pela sociedade e a transferiu para o espaço. Cidades, Estados e Países, foram substituídas por Planetas e Galáxias, desde os mais belos aos mais perigosos pela egocentricidade humana.

 

Sexto, semeie o amor para ficar conectado ao “ser”.


Além disso, essa ideologia foi repetida em Matrix e Interestelar, tão presente na corrente sanguínea literária de Roddenberry, dos quais descobrir os mistérios da sobrevivência de uma espécie começa por ela mesma.

No entanto, para Roddenberry, o amor precisa se tornar a porta-bandeira da solução, diante do caos criado por uma sociedade, que vai exaurindo o ser, tentando ser Deus, numa ilusão insensata, que nada sabe sobre a própria existência e como chegou até aqui.

Sétimo, não desanime e persista, o seu “ser” precisa de você.


Primeiramente, concordo com o pensamento da personagem “Michael Burnham” interpretada brilhantemente por Sonequa Martin-Green em Star Trek Discovery. Diante da sua constante busca pelo autoconhecimento e nas inquietações provocadas pelas perdas e conquistas, cujo ser é colocado em cheque ao caos e aos semelhantes.

Em resumo, compartilho um dos momentos mais impactantes da série e detalhados neste pequeno monólogo, em que Michael, questiona como faço para vencer o medo e estar desconectado do “ser”.

 

“A única maneira de derrotar o medo, é dizer “não” a ele.”

 

Não, nós não pegaremos atalhos no caminho para a justiça.

Não, não quebraremos as regras, que nos protegem de nossos instintos.

Não, não permitiremos, que o desespero destrua a autoridade moral.

Eu sou culpada de todas essas coisas.

Alguns dizem que, na vida, não há segundas chances.

A experiência me diz, que isso é verdade.

Mas só podemos olhar para frente. Nós temos, que ser portadores da chama, iluminando para podermos enxergar nosso caminho para uma paz duradoura.

Sim, é o que somos e sempre seremos”.

 

Concluindo, a decisão para o sucesso e o fracasso, está em suas mãos.

 

Jamais, desanime e faça acontecer.

Você tem a chave para o seu sucesso.

Depois disso, que foi apresentado a você, onde existe um belo caminho a conquistar e compreender.

Portanto, coragem, siga, Deus não vai abandoná-lo. Você merece ser feliz e quero bater palmas pelo seu sucesso e sonhos realizados.

Uma simples ação, pode gerar reações nas pessoas, cuja sinergia, se torna uma ponte de uma conexão para uma conquista maior, ou num lapso do tempo. Uma antipatia, que interrompe a conectividade no ser, com um novo “desafio”, quem sou eu.

Concluindo, o tempo, o caos e a desordem, são fragmentos, que podem ser usados para melhorar uma sociedade ou destruí-la.

Portanto, que tal começar agora, nunca vai saber quem vai ajudá-lo em determinadas situações, cujo caos pode estar próximo de rir das suas derrotas, por estar desconectado do ser e sem autoconhecimento.

 

“A vida pode desfazer pelos dedos, mas, ao mesmo tempo, pode carregá-la entre as mãos” Dênis Castro

Compartilhe esse artigo aos seus amigos se gostou.

Em outras palavras, o intuito do meu trabalho é ajudar e melhorar o estado de ser das pessoas, e se permitir serem felizes, diante um autoconhecimento mais compreendido e fiel aos dons, sonhos e propósitos.

Conte sempre com a minha experiência e vivência para ajudá-lo.

Deseja conhecer mais, me chame nos comentários ou “inbox”.

 

Se gostou, salve este conteúdo e faça ecoar o autoconhecimento. Muito necessário nos dias atuais.


Se este assunto chamou sua atenção, siga-me nas mídias sociais e acesse mais conteúdos.

O conteúdo deste artigo, faz parte da mentoria, Agir, Pensar e Transformar, que realizo de forma prática e ajudar a conectar e melhorar o seu desempenho na vida e no trabalho.

Se é a primeira vez que se conecta, a este conteúdo, seja bem-vindo.

Fique a vontade para seguir os conteúdos, que compartilho nas mídias sociais.

 

Artigos Relacionados:


Descubra como o autoconhecimento pode ajudá-lo a conectar aos seus propósitos de vida e na melhoria do “ser”

Descubra como o poder da Esperança, pode ajudar você na sua comunicação, diminuir o estado de ansiedade e aprender com os conflitos.

Descubra como os obstáculos podem ajudá-lo a entender os fracassos e superar os medos

Temos Inteligência Emocional para conviver com o caos

Conheça o Pensamento Vazio e os motivos, que o afastam do seu sucesso na Vida.

MEDO, o portal dimensional para o sucesso e o fracasso.

Somos fúteis, como lágrimas na chuva?

Foco, Força e Fé, se permita perdoar e milagres virão.

 

Portanto, viva plenamente a sua vida e sorria mais.


Até o próximo!

Vivência e Experiência

Grande abraço no coração!

Dênis Castro, Gestor de Projetos, Mentoria, Gestor de Vendas, Gestor de Negócios, Professor e Conteudista no LinkedIn. Vivência com mais de 20 anos em Gestão de Projetos, que vai ajudá-lo a conectar aos seus dons e transformá-los em objetivos para alcançar os seus propósitos e na realização de seus sonhos.

Terei o imenso prazer em ouvi-lo e apresentar a melhor proposta lúdica para você?

Embora realizar um bate-papo lúdico on-line.

 

Obrigado,

Dênis Castro
Gestor de Projetos | Mentoria | Vendas | Negócios | Professor | Conteudista no Linkedin | Instagram: @denisacastro

Como posso ajudá-lo?

Deixe uma resposta

Artigos e Posts da Gestão Lúdika

Sobre o Autor:

  • Vivência com mais de 20 anos com Gestão de Projetos e Consultor. Atuou em diversos segmentos, rede de franquias, restaurante e corretora de seguros entre outros, foco na implantação, coordenação, gerenciamento e desenvolvimento de novos modelos de negócios.

      Autor: Dênis Castro

      Especialista Lúdico e Consultor | Gestor de Negócios | Gestor de Projetos | Professor | Cineasta | Como posso ajudá-lo?
  • Conhecimento prático nos diagnósticos da gestão, mapeamento de processos (tempo, recursos, custos e riscos), análises de KPI´s para correções e ajustes operacionais. Formação em Cinema, Televisão e Mídia digital, que permite ter um foco estratégico nas atividades

      Autor: Dênis Castro

      Especialista Lúdico e Consultor | Gestor de Negócios | Gestor de Projetos | Professor | Cineasta | Como posso ajudá-lo?
  • aos clientes (diagnósticos, análise de processos administrativos e operacionais), identificação dos Riscos Positivos (individuais e empresa) com acompanhamento do controle dos desempenhos e resultados efetivos. Estuda, desenvolve e aplica a metodologia da

      Autor: Dênis Castro

      Especialista Lúdico e Consultor | Gestor de Negócios | Gestor de Projetos | Professor | Cineasta | Como posso ajudá-lo?
  • Gestão Lúdika ao propor a prática da gestão positiva nos projetos na importância do bem-estar das equipes, times e colaboradores, na adoção da Economia Compartilhada. Propõe Bate-Papos Lúdicos nas empresas para melhorar a todos na equipe por meio da Gestão Lúdika.

      Autor: Dênis Castro

      Especialista Lúdico e Consultor | Gestor de Negócios | Gestor de Projetos | Professor | Cineasta | Como posso ajudá-lo?
  • Professor e instrutor em entidades, associações e colégios, com mais de 15 anos de atuação.

    Pós-Graduado em Gerenciamento de Projetos, Melhores Práticas do PMI com ênfase na Administração.

      Autor: Dênis Castro

      Especialista Lúdico e Consultor | Gestor de Negócios | Gestor de Projetos | Professor | Cineasta | Como posso ajudá-lo?

Nos ajude, compartilhe:

Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no print
Impressão

Estamos à disposição, conte conosco!

Nos ajude, compartilhe:

Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter

Estamos à disposição, conte conosco!